Outubro de 2017

Como já é de praxe, e atrasado como sempre, é hora de postar aqui um resumo das coisas que andaram acontecendo em outubro de 2017 na minha vida profissional e acadêmica.

Mudança de casa

Não é só na vida profissional e acadêmica não. Na vida pessoal também, um pouquinho.

Saí do bairro Santa Cândida, onde morei por quase 9 anos (desde janeiro de 2009). Vivi dias muito felizes lá, mas já estava mais que na hora de mudar. Tanto pelos pequenos problemas no imóvel, que viviam me atazanando, como pela necessidade de mais espaço, melhor localização e preço mais adequado.

De fato conseguimos um ótimo imóvel, com espaço para acomodar melhor um casal com filhos quase adolescentes e ter um escritório de trabalho. A casa antiga já estava tipo entra um livro novo tem que sair algum morador. Sem falar que não havia espaço adequado para ler, pesquisar, escrever, coisa que fazemos eu e a Maris.

A esperança é que na nova casa vocês vejam alguma melhora no resultado do nosso trabalho. Entre outras coisas porque teremos mais tranquilidade pra isso.

Quero ressaltar que, como professor da UNESPAR, dependo de espaço “home office” pago às próprias expensas para fazer meu trabalho. Na universidade não temos sala de aula suficiente, nem sala para atendimento a alunos, nem espaço suficiente de estudo na biblioteca, nem sala de departamento, nem muito menos gabinete de professores. Nem espaço de convivência também. Seguimos sendo uma universidade que o governador Beto Richa criou na lei mas não deu recursos orçamentários para funcionar nem muito menos para criar o espaço físico adequado.

Projeto Transcultur@

Em outubro finalizei o texto que vou enviar para o Dicionário de História Cultural Transatlântica. Trata-se de um projeto muito interessante, envolvendo pesquisadores e universidades da França, Brasil e Estados Unidos. Investiga-se o trânsito de pessoas, livros, obras, ideias pelo Atlântico.

Meu texto será “Música de concerto no Brasil e circulações transatlânticas: o modernismo musical” que escrevi a convite e sob coordenação do prof. Marcos Napolitano, da USP.

Ainda não está no ar, claro, tenho muita coisa pra fazer antes de ficar pronto o verbete (por enquanto só escrevi o texto, faltam os montes de coisas para linkar – imagens, sites, etc).

Mas assim que tiver novidades conto aqui. Por enquanto, dá pra saber do projeto neste site.

Qualificações de minhas orientandas

A coisa mais importante que fiz em outubro foi ver minhas primeiras orientandas de mestrado qualificando.

Eu tive muita sorte de começar a vida de orientador com alunas tão boas para trabalhar comigo. A Luana e a Thayla fizeram tudo certo, escreveram bons trabalhos e passaram com louvor pelas qualificações.

Vocês não sabem como os orientadores tem medo de pegar alunos que não conseguirão fazer o trabalho. Sim, porque é difícil conseguir bons orientandos de pós-graduação. Nem todo mundo está a fim ou tem o pique necessário para mestrado e doutorado. E é claro, quem faz o trabalho é o aluno, o orientador só orienta. Se a pessoa não se dedicar muito, não há o que faça o trabalho ficar bom.

Então, foi assim:

Dia 09 de outubro estivemos eu, Artur Freitas e Rosane Kaminski para avaliarmos o trabalho de Luana Hauptman Cardoso de Oliveira. O título foi Embates pela arte paranaense: Adalice Araújo entre a crítica jornalística e a direção do Museu de Arte Contemporânea do Paraná. Trabalho aprovado, lá por fevereiro ou março vocês terão notícias da defesa final.

Dia 16 de outubro estivemos eu, Miliandre Garcia de Souza e Allan de Paula Oliveira para avaliarmos o trabalho de Thayla Walzburger Melo. O título foi Os sons da dissonância: a arte do protesto nas músicas de Raul Seixas e Secos & Molhados em tempos de autoritarismo (1973-1974). Trabalho aprovado, aguardem a defesa final para fevereiro ou março.

Ambas as pesquisas fazem parte do meu projeto “Crítica e história: noções de identidade, engajamento e valor na produção artística conforme a discussão em textos impressos”. É o trabalho que estou desenvolvendo na linha de pesquisa Arte, Memória e Narrativa no programa de Pós-Graduação em História da UFPR. Veja mais sobre o projeto lendo a descrição no meu currículo lattes.

Este ano devo assumir novos orientandos que se inscreveram na seleção para 2018, conforme propagandeei neste post:

Lançado o edital de seleção 2018 do PPGHIS-UFPR

Fiquem atentos para as próximas seleções.

Os TCC de meus orientandos

Também foi em outubro que meus orientandos de TCC na UNESPAR entregaram os trabalhos finais. As bancas serão em novembro, fiquem de olho. Aqui tem o edital com as informações sobre todas as bancas. (Com 16 alunos defendendo seus trabalhos, esse será o recorde na história do curso)

Os trabalhos que orientei são:

Renan Alfredo de Medeiros D’Ávila – A crítica musical de Mário de Andrade no Diário Nacional em 1927, 1928 e 1929. Participarão da banca a professora Laize Guazina (como coordenadora de TCC) e o professor Fabio Poletto como convidado. A banca será dia 28 de novembro às 15:30, no Auditório Antonio Melillo da FAP (Campus de Curitiba II da UNESPAR).

Este é o primeiro TCC que oriento que resulta da pesquisa que desenvolvo. O Renan foi meu orientando de Iniciação Científica em 2015/16. O trabalho dele incorpora também informações levantadas por outros orientandos que seguem trabalhando no projeto em 2016/17 e 2017/18 no Programa de Iniciação Científica da UNESPAR.

Clara Jansson Barros – Interação entre o sagrado e o secular na música evangélica: um estudo em discos dos grupos Vencedores por Cristo e Diante do Trono. Participarão da banca a professora Laize Guazina e o professor Allan Oliveira. A banca será dia 28 de novembro, às 13:30, no Auditório Antonio Melillo da FAP (Campus de Curitiba II da UNESPAR).

O trabalho da Clara veio de encontro ao meu interesse de pesquisa com a música evangélica brasileira. Já fiz várias orientações relativas a esse tema quando fui professor na Faculdade Teológica Batista do Paraná e também na FAP. O primeiro texto acadêmico que escrevi sobre isso foi o capítulo para o livro do Joêzer. Espero que seja o primeiro de vários.

Links

Em outubro, saiu o post no blog do Grupo de Pesquisa, disponibilizando o livro da professora Ana Paula Peters:

Ana Paula Peters: Nas trilhas do choro

Como já fiz em agosto e setembro, deixo a seguir uma lista dos posts mais lidos aqui do blog no mês de outubro (conforme estatísticas do google analytics).

Meu discurso como professor homenageado dos formandos 2012 de música da FAP

Os cânticos dos cristãos nos primeiros séculos

Joezer Mendonça: O som da reforma

Orquestra Sinfônica do Paraná é uma das 5 melhores do Brasil?

A importância das orquestras e sua manutenção

História da Música Brasileira – aula 02

Meu discurso de paraninfo para os formandos de Licenciatura em Música 2011 da FAP

Sobre a música de teclado no século XVII

História da Música Brasileira – uma bibliografia

Sobre a notação da música grega antiga

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *