Sobre

André Egg:

Professor do Campus de Curitiba II da UNESPAR, do colegiado de Bacharelado em Música Popular. Ministra disciplinas de História da Música e Música no Brasil, também no curso de Licenciatura em Música.

Professor do Mestrado em Música da UNESPAR, linha Música, Cultura e Sociedade, desde a criação do curso em 2019. Professor no PPGHIS-UFPR, linha de pesquisa Arte, Memória e Narrativa – de 2015 a 2020 como colaborador, desde então como permanente.

Já atuou em diversos cargos administrativos e representativos na UNESPAR. Coordenador de Curso de Graduação (Bacharelado em Música Popular, 2011-2013), Diretor de Centro de Área (Centro de Música e Musicoterapia, Campus de Curitiba II, 2014-2016), Coordenador de Programa de Pós-Graduação (PPGMUS, de agosto de 2020 a março de 2021), Diretor em Pró-Reitoria (Diretoria de Pós-Graduação da PRPPG, desde janeiro de 2021). Membro de Colegiado de Graduação, Colegiado de PPG, Conselho de Centro de Área, Conselho de Campus, CEPE-UNESPAR, COU-UNESPAR.

Em tempos em que a UNESPAR ainda não tinha sido criada, na então Faculdade de Artes do Paraná (FAP), trabalhou na Comissão de Vestibular e e foi coordenador da extinta Sessão de Pós-Graduação. Já na UNESPAR foi membro do extinto Comitê Interno de Pesquisa do Campus.

Mais detalhes sobre cargos e funções profissionais exercidas, ver perfil no Linkedin.

Trajetória acadêmica

Licenciado em Música pela EMBAP, especialista em Música do Século XX pela EMBAP. Mestre em História pela UFPR, com uma dissertação sobre Guerra Peixe e o grupo Música Viva. Doutor em História Social pela FFLCH-USP, com uma tese sobre a formação do compositor Camargo Guarnieri.

Como professor da UNESPAR, desenvolveu pesquisas sobre a crítica musica de Mário de Andrade e mais recentemente sobre crítica musical e a ideia de música brasileira em periódicos nas décadas de 1940 a 1970. Tem orientado trabalhos de Iniciação Científica nessa linha, e estão em curso as primeiras orientações de mestrado na UNESPAR. Essas pesquisas tem sido feitas em conjunto com os colegas e os alunos no Grupo de Pesquisa em Música, Cultura e Sociedade.

No Mestrado e Doutorado em História da UFPR, tem orientado trabalhos preferencialmente nas conexões entre história e música, mas tem abertura para assuntos correlatos. Atualmente são 4 orientações concluídas de mestrado, cujas informações estão organizadas numa aba aqui na página. Estão em andamento as primeiras orientações de doutorado.

É autor do livro A formação de um compositor sinfônico: Camargo Guarnieri entre o modernismo, o americanismo e a boa vizinhança (2018), publicado pela Alameda. É organizador do livro Música, cultura e sociedade: dilemas do moderno (2016), publicado pela editora CRV, , e um dos organizadores do livro Arte e política no Brasil: modernidades (2014), publicado pela editora Perspectiva.

Professor na Faculdade Teológica Batista do Paraná, atual FABAPAR, entre 2005 e 2008, onde ministrou disciplinas de História do Cristianismo e de Música, na graduação e em cursos de pós-graduação Lato Sensu. Orientou diversos TCC. Das leituras e interesses desenvolvidos nesse período, restam hoje orientações sobre temas relacionados a música dos protestantes brasileiros, em TCC na UNESPAR, mestrado na UNESPAR e mestrado e doutorado na UFPR.

Desde a conclusão do doutorado, em 2010, tem sido convidado a colaborar em bancas de qualificação e de defesa, de mestrado e de doutorado, nas seguintes universidades: UFPR, USP, UNESP, UNICAMP, UNB, UFU, UEPG. Trabalha como parecerista ad hoc para a FAPESP, e tem participado em comissões científicas de eventos acadêmicos. Tem histórico de parecerista para Congressos da ANPPOM, bem como pareceres ad hoc para várias revistas científicas nas áreas de Música e de História.

As publicações estão detalhadas e com links em outra aba desta página. Consulte o currículo completo na plataforma Lattes.

Outras atividades

Técnico em Eletrônica formado em 1993 pelo antigo CEFET-PR, trabalhou alguns anos na área.

Foi professor de violão, teoria musical e harmonia em várias escolas de música, notadamente a Escola de Música Paidéia (Curitiba), o Conservatório de MPB de Curitiba e a Escola de Música Villa-Lobos da Casa da Cultura em Joinville.

Foi violonista com apresentações solo e em grupo até o início dos anos 2000. Fez pequenos trabalhos como arranjador e compositor. Também foi professor de Violão, de Prática de Música em Conjunto, de Percepção Musical, de Harmonia e de Arranjo na FAP/UNESPAR – antes de direcionar as atividades acadêmicas completamente para a área teórica (música e história, a partir do doutoramento em 2010).

2 comentários

  1. André,
    peguei na internet trabalho seu sobre o grupo Música Viva, de 2005. Estou curioso de saber se você tem exemplares do boletim do grupo, e quais.
    Há algum outro trabalho seu ou de alguém mais do Paraná envolvendo o MV?
    Abraço,
    Flavio

    1. Oi Flavio!

      Eu tenho fotocópia da coleção disponível na DIMAS-BN, se não me engano falta apenas o primeiro número. Acho que é do acervo do Andrade Muricy.

      Estou procurando outros trabalhos porque estou revisando a dissertação para virar livro. Logo te mando mais informações. Mas colegas próximos a mim pesquisando isso não tem não.

      Abraço,

Comentários estão encerrados.