Sobre a notação da música grega antiga

Aqui no blog tem outro texto sobre a música grega antiga, com algumas imagens e informações. Mas uma coisa que faltava falar melhor é sobre o sistema de notação da música grega.

Restaram poucos fragmentos de música grega antiga em notação. E parece que o único documento completo encontrado (ao menos era isso até tempos atrás) tinha sido o chamado Epitáfio de Seikilos.

Aqui está uma imagem de como está a inscrição, que sobreviveu por ter sido esculpida num suporte mais permanente:

Epitáfio de Seikilos – hoje guardado no Museu Nacional da Dinamarca

Para enxergar melhor, aqui uma impressão plana da inscrição completa:

Planificação da imagem gravada na coluna

Uma possível transcrição é esta aqui, que encontrei neste interessante blog:

Transcrição para notação moderna da música do Epitáfio de Seikilos

As possibilidades de transcrição partindo deste tipo de notação são múltiplas, afinal não se trata de uma notação com informações completas, como se vê no original mais acima. A dedução das alturas parece não encerrar muita dúvida para os especialistas, mas a transcrição do ritmo pode ter pequenas variações de interpretação. Vejamos, por exemplo, a transcrição proposta no livro de Théodore Reinach:

Transcrição incluída no livro de Théodore Reinach

A tradução inclusa no livro do Reinach, vertida para o português por Newton Cunha com revisão do grego por Daniel Rossi Nunes Lopes é a seguinte:

Enquanto viveres, brilha

não te aflijas com nada além da medida

a vida dura pouco

o tempo reclama seu tributo

Os motivos para a dificuldade com a transcrição ficam evidentes neste quadro dado por Théodore Reinach, com as explicações sobre a notação das alturas conforme se depreende dos fragmentos de notação grega já encontrados:

Quadro da notação grega antiga

Por fim, duas interessantes possibilidades de execução da canção encontrada na lápide. A primeira, mais fiel às transcrições feitas. A segunda um arranjo livre de Luis Paniagua:

 

www.youtube.com/watch?v=pKatfjAZLkA

 

One thought on “Sobre a notação da música grega antiga

  1. Pingback: Quando foi inventado o canto gregoriano?André Egg