Agosto de 2017

Agosto de 2017 passou cheio de acontecimentos, mas não aqui no blog. Não tenho escrito nada senão estes resumos mensais, porque a vida anda muito corrida com as aulas e a produção acadêmica.

Os últimos posts são:

Maio de 2017

Junho de 2017

Julho de 2017

Grupo de Pesquisa

O Grupo de Pesquisa em Música, Cultura e Sociedade tem um blog, lá também a produção de textos vai devagar, ainda temos informação atrasada a publicar. Em agosto postei lá sobre textos que são resultado de pesquisas de Iniciação Científica do Grupo, que foram apresentados no evento da UNESPAR em 2016, e que saíram em anais.

Publicados os trabalhos apresentados no EAIC 2016

O Pensador Selvagem

Já contei aqui que o portal O Pensador Selvagem voltou à ativa, e criei lá a coluna Cena Contemporânea. Tenho várias ideias de posts para escrever, mas por enquanto não tá dando tempo.

Mas em agosto saiu lá:

Conexões globais no violão de Fabricio Mattos

O próximo texto, que eu já devia ter escrito, mas o tempo não está parando pra eu fazer isso, é sobre a Bienal Música Hoje. Ela foi realizada em Curitiba, em sua quarta edição, e teve muito concerto interessante, a maioria com estreias de obras. Assim que conseguir fazer lá o texto, aviso aqui também.

Trabalhos acadêmicos

Talvez eu não escreva mais tanto no blog porque estou dedicando mais tempo à vida acadêmica.

Minhas primeiras orientandas de mestrado vão qualificar em outubro – trabalhos bem interessantes, vou contar mais detalhes aqui depois. Aliás, ótima ocasião para lembrar que faltam poucos dias para encerrar as inscrições para a seleção do mestrado e doutorado em História da UFPR. Escrevi explicações e dei links aqui:

Lançado o edital de seleção 2018 do PPGHIS-UFPR

Este ano tenho muitas turmas, como vocês podem ver aqui na aba Material de Aula. Estou me quebrando para preparar aulas, atualizar o referencial, os exemplos e, principalmente, tá bem corrido para corrigir os trabalhos.

Além disso, tem a turma boa fazendo TCC, PIC e o trabalho do Grupo de Pesquisa para tocar.

Fora isso, vocês sabem, porque já contei aqui, saíram livros este ano:

Música, cultura e sociedade: dilemas do moderno é o que eu organizei. Tem texto meu e de muita gente fera. Já vendeu um bocado nos eventos que fizemos, mas ainda tem vários exemplares comigo, e estou vendendo pela Amazon.

Também tenho uns exemplares do Com som, sem som. Liberdades políticas, liberdades poéticas, organizado por Heloísa Valente e Simone Pereira. Além dos muitos textos legais que saíram no volume, tem um capítulo meu cujo título é “O papel do compositor em debate na imprensa escrita: Brasil, décadas de 1920 a 1960”. Está à venda na Amazon, também.

Vai sair em breve um volume organizado por Joêzer Mendonça, pela editora CRV, sobre música na reforma protestante. Escrevi um capítulo sobre música e calvinismo. Assim que sair conto aqui.

Leituras

Sou meio confuso com as leituras, muita coisa começo e paro, não consigo contar muito aqui. Agora, se tem uma coisa que me empolgou em agosto, assim como já tinha sido em julho, foi ler a série napolitana de Elena Ferrante.

Depois que peguei o primeiro da série pelo Kindle Unlimited, dei sequência até o quarto volume. É o tipo de livro que não se consegue parar de ler. Pra mim, além do interesse pela literatura, pela personagem Elena Greco, que me cativou incrivelmente, tem todo o fundo histórico.

É uma história de amizade, da relação entre as mulheres e o mundo masculino, das dificuldades nos estudos (por ser mulher e por ser da periferia pobre de Nápoles) e na vida profissional. Mas sobre tudo, há grandes insights sobre a vida intelectual e política da Itália dos anos 1960 a 1980 – só essa parte já vale, e me faz ficar com aquele senso de dever de estar me divertindo e ao mesmo tempo aprendendo alguma coisa de história.

Os quatro volumes da série napolitana, de Elena Ferrante

P.S. os posts mais lidos deste blog em agosto foram (segundo o google analytics):

Meu discurso como professor homenageado dos formandos 2012 de música da FAP

Meu discurso de paraninfo para os formandos de Licenciatura em Música 2011 da FAP

Os cânticos dos cristãos nos primeiros séculos

Lançado o edital de seleção 2018 do PPGHIS-UFPR

Orquestra Sinfônica do Paraná é uma das 5 melhores do Brasil?

One thought on “Agosto de 2017

  1. Pingback: Joezer Mendonça: O som da reforma | André Egg