Voltando às aulas e reativando os blogs

Dois mil-e-catorze já começou, mesmo antes do carnaval. As aulas voltaram no último dia 10, tanto pra mim na UNESPAR Campus Curitiba II (antiga FAP) como para as crianças na rede pública municipal.

Não que esta página tenha ficado parada. Às vezes é mais fácil escrever nas férias que no período letivo. Em janeiro este blog teve 7 postagens, das quais uma foi na verdade minha filha que escreveu (esta aqui). Isso foi mais do que qualquer mês deste blog desde junho de 2012.

Só que, mais do que blog, esta página funciona como um lugar para eu organizar os materiais que uso em minhas aulas. Então dá pra dizer que a página voltou à ativa quando foram colocados aqui os arquivos principais para organizar as atividades. Está tudo ali, na aba História da Música (aulas): os planos de ensino e os cronogramas de todas as disciplinas que estou ministrando em 2014 (que incluem links para textos de apoio na internet). Também tem uma nova aba chamada Pesquisa e orientações, com explicações para quem pretende ser orientando deste escriba (no momento, há vagas para Iniciação Científica).

Fora isso, estou tentando manter maior regularidade no blog História Cultural, que funciona no portal de blogs da Gazeta do Povo.

Comecei em fevereiro, com um post que é meio um chute inicial para 2014 e uma atualização para a página de perfil do blogueiro, que estava com as informações de quando o blog começou em agosto de 2011. O post é este:

História Cultural: o blog e o blogueiro, versão 2014

Aí tem também uma lista dos principais posts do blog. Depois disso, já publiquei mais dois textos novos – corram ler. Um é a resenha do livro do Marcos Napolitano sobre o Regime Militar brasileiro, que acabou de sair pela Contexto. E outro é sobre um texto do Lorenzo Mammi na revista Piauí:

Marcos Napolitano e a história do Regime Militar

Lorenzo Mammi: o LP como forma de arte

Agora só falta eu retomar as contribuições para o Amálgama, um lugar que eu prezo muito nesta internet.

E vamos lá, que o ano promete.