O Brasileirão 2013 após a 8ª rodada: todo mundo já disse a que veio, é hora de reavaliar as chances de cada um

Alex decisivo (foto de Miguel Schincariol tirada daqui)

Alex decisivo (foto de Miguel Schincariol tirada daqui)

Como tradicionalmente faço em início de campeonato, eu já fiz uma avaliação das chances de cada time no Brasileirão 2013, logo no início do campeonato. Está neste post:

Começou o Brasileirão 2013: situação dos times, favoritos e palpites infalíveis

Agora que já passaram 8 rodadas, e o ano já está na sua segunda metade, (com um intervalo de Copa das Confederações no meio, e três rodadas depois da volta) já dá para fazer uma reavaliação.

Aliás, eu preciso fazer as reavaliações de alguns palpites meus lá naquele post. É natural que muita coisa tenha mudado, mas também ainda é cedo para descartar alguns times por terem desempenhado mal até aqui. Faltam 31 rodadas, e tudo pode acontecer.

Times que estavam bem avaliados andam decepcionando feio: o Fluminense teve um bom começo, mas agora está em má fase. Nas últimas 5 rodadas soma uma vitória e quatro derrotas. De modo que já caiu de time que disputava a ponta da tabela para uma incômoda 13ª posição com 37,5% de aproveitamento. Outro que está caindo pelas tabelas é o São Paulo, que somou 1 ponto nas últimas cinco rodadas e é de longe o pior time do momento. Eu tinha dado estes dois como times que brigariam por título e ficariam no pelotão da Libertadores. Ainda é cedo para descartá-los, mas eles já estão perdendo rodadas preciosas. Daqui a pouco ficam impossibilitados de brigar por título, e restará uma recuperação honrosa com um lugar medíocre no meio da tabela.

Sobre ambos: o São Paulo não precisava demitir Ney Franco, mas a escolha de Paulo Autuori parece ser a melhor opção. Primeiro o técnico precisará dar confiança à equipe, para depois começarem a aparecer os resultados. Curiosamente, já faz um tempo que a torcida do São Paulo mais atrapalha do que ajuda, pois desde 2011 o time desempenha bem melhor fora de casa. Os bambis vão ter que aceitar que o tricolor não pode ser tricampeão todo ano. O Fluminense também sofre o mesmo desgaste de time que ficou muito tempo no auge. Mas o blog Carta na Manga já dá o ciclo de Abel Braga como esgotado, e anuncia a demissão do treinador para breve.

A decepção com os dois tricolores surpreende. Mas surpreende também o domínio inicial de times considerados apenas medianos. Botafogo, Coritiba, Cruzeiro, Vitória, Santos e Goiás. 6 dos 8 primeiros da tabela não estavam cotados para estar na parte de cima, todos com aproveitamento superior a 50%. Os únicos que tinham vocação para estar ali desde muito tempo são Grêmio e Inter, ambos ainda vivendo momentos de transição. No Inter são bons jogadores que saíram, com a entrada de novos que demorarão para encaixar. Já o Grêmio tinha um time muito forte no papel, mas acabou trocando de treinador após um desempenho pífio no Gauchão e na Libertadores. Renato Gaúcho não é técnico para disputar título, e o Grêmio decidiu que vai ser time de meio de tabela.

Já os outros 6 azarões, ninguém pode prever por quanto tempo conseguirão manter o bom desempenho. Se olharmos apenas as últimas 5 rodadas, vemos que o Vitória já começou a perder fôlego. É apenas o 9º, com 46,7% de aproveitamento. O Botafogo também está se beneficiando de momentos melhores no passado – é o 6º, com 60% de aproveitamento nas últimas rodadas. Já os outros 4 são os melhores do momento:

clube jogos pontos aproveitamento vitórias empates derrotas gols marcados gols sofridos saldo
Cruzeiro 5 11 73,3% 3 2 0 10 3 7
Internacional 5 11 73,3% 3 2 0 12 8 4
Coritiba 5 11 73,3% 3 2 0 8 5 3
Santos 5 10 66,7% 3 1 1 10 6 4
Goiás 5 10 66,7% 3 1 1 5 3 2

Esta tabela aí em cima é do desempenho nas últimas cinco rodadas. Mostra claramente quem está com a bola toda no exato momento.

O Santos surpreende por demonstrar que há vida (e muito boa) sem Neymar e Muricy. Os garotos da base pela enésima vez estão mostrando que são a grande opção. Diferente de 2002, quando um time de garotos podia surpreender no mata-mata e ganhar o título, na era dos pontos corridos o Santos não tem o perfil de experiência e regularidade necessárias para continuar tão bem no campeonato. Entretanto, o Montillo está jogando alguma coisa parecida com futebol, coisa que não fazia desde 2010. Isso é bom, se considerarmos que ele foi a contratação mais cara da história do Santos.

O Cruzeiro tem muita coisa boa para mostrar até o fim da temporada. O Marcelo Oliveira é um ótimo técnico, e pela primeira vez dirige um clube disposto a gastar muito em contratações. A sequência da temporada vai mostrar que não é só juntar um punhado de bons jogadores e colocar um bom técnico para formar um time campeão. Depois do vice-campeonato de 2010 e da grande primeira fase da Libertadores de 2011, o Cruzeiro desandou de um jeito, que qualquer melhoria tem que ser muito bem vinda. Era para o time ter caído em 2011, não fossem os patrocinadores comuns do BMG mandarem o Atlético MG entregar aquele 5×0 da última rodada. Mas o Cruzeiro vai dar alegrias para a torcida em 2013, só que não fica nem com vaga de Libertadores. Por enquanto está desfrutando do mau momento de alguns, como as goleadas que aplicou no Vasco e no São Paulo, times que não vão sair perdendo assim toda hora.

O Goiás ainda é uma coisa meio difícil de analisar, afinal eu não vi nenhum jogo do time. Não parece que vai ficar muito tempo tão bem, à medida que outros times forem crescendo em desempenho. Note-se que, entre os que estão se destacando nas últimas rodadas, é o que fez menos gols.

O Coritiba é uma grata surpresa para todos. É difícil analisar com isenção o time para o qual a gente torce, mas eu conheço muito bem todas as qualidades que levaram o clube a ter um início de temporada tão promissor. E não é só o Alex não. É claro que se o menino de ouro não tivesse voltado ao clube que o formou o Coritiba estaria como ano passado. Mas é um clube que tem um grande treinador, e muita força coletiva. A defesa bateu roupa diversas vezes nos últimos jogos, mas continuará consistente ao longo do ano. Não por acaso, defesa pouco vazada é a marca dos três líderes atuais, todos com menos de um gol sofrido por jogo (7 gols em 8 jogos). Só o Corinthians se defende melhor, mas ainda não está fazendo gols. Se o clube tem fôlego para continuar brigando pela liderança? É mais provável que não, embora no momento não tenha ninguém melhor. De qualquer modo, para um time pouco acostumado a títulos e liderança de campeonatos, o Coritiba está trabalhando firme para consolidar um novo patamar de desempenho. Basta que se diga que, em 11 edições dos pontos corridos, só 6 times terminaram invictos a 8ª rodada, como mostra a matéria da placar. Das cinco anteriores, 3 foram campeãs. De qualquer forma, é o melhor início de campeonato que o Coritiba teve em sua história, já somou pontos importantes, e, ao contrário das minhas previsões iniciais, deve ser considerado como sério candidato a uma vaga de Libertadores. Por enquanto sua receita é simples: empates fora de casa e vitórias por um gol de diferença em casa. Para mostrar que pode superar o Coritiba de 2011, precisa manter o bom desempenho em casa (foi o melhor mandante naquele ano) mas tem que vencer fora de casa. Uma vantagem que o Coritiba tem em relação aos demais: este ano foi eliminado cedo na Copa do Brasil, o que faz muita diferença quando se tem uma CBF organizando calendário.

Sobram os que estão embaixo, mas tem potencial para subir.

O Atlético MG continua candidatíssimo ao título, com 6 pontos a menos que o líder e um jogo a menos. Saberemos sua força algumas semanas depois que acabar a Libertadores, ou seja, em breve.

O Vasco teve um começo de ano horrível, mas cresceu muito com a chegada de Junhino. Já trocou mais de técnico que eu de camisa mas tem condições de brigar pela parte de cima da tabela.

O Corinthians ainda pode brigar por título, pois também está com 10 pontos como o Atlético, só que não tem um jogo a menos. Só precisa começar a marcar gols. Hoje o campeão mundial tem a melhor defesa da competição, com apenas 4 gols sofridos em 8 jogos. Mas conseguiu marcar apenas 6 gols, e o único ataque pior no Brasileirão é o do Náutico, o lanterna. É preciso ver quanta falta fará Paulinho, que era um dos melhores jogadores em atividade no Brasil, e jogou muito na Copa das Confederações.

Os demais são carne de vaca. Bahia, Criciúma, Flamengo, Ponte Preta e Atlético PR jogam para não cair. Na verdade, disputam duas vagas para permanecer na Série A. Que Portuguesa e Náutico já caíram. Os dois últimos estão tão atrás que fica difícil esboçar reação. Ainda mais que são elencos limitados e clubes sem peso na camisa e de baixo orçamento.

O Bahia, depois que passou a ser dirigido pelo Cristóvão Oliveira mudou completamente de patamar e passou a ser um time organizado. Já leva boa vantagem por isso. Talvez se possa dizer o mesmo do Flamengo, assumido por Mano Menezes.

É claro que sempre tem incompetência de sobra pairando por aí, muita gente fará besteira da grossa e tudo pode mudar.

O que não deve mudar é o fato de que este é o Brasileirão dos veteranos. Os grandes craques da competição são jogadores dos 30 anos para cima.

Alex, na foto que ilustra o post, Seedorf, Zé Roberto, Juninho Pernambucano. Podia ser o Ronaldinho Gaúcho, se ele ainda tivesse ganas de manter a forma física e treinar como os outros da sua geração.