Edital “O som da cidade” do SESC da Esquina

Dias atrás eu tive a satisfação de trabalhar junto com o Cristiano Castilho, jornalista da Gazeta do Povo, na curadoria do Edital “O som da Cidade” do SESC da Esquina.

Eram 20 propostas de espetáculo musical inscritas, das quais foram selecionados os seguintes 5 grupos:

  • Molungo, que entrou meio na categoria “música de raiz” ou “folclórica”
  • Jean Gabriel – com o espetáculo “Café à luz de velas”, que entrou principalmente pelas composições de Gustavo Bonin e Isaac Dias (prestem atenção nestes caras)
  • Uh la la, que se destacou entre as bandas de rock inscritas
  • grupo Siricutico, com o ótimo espetáculo infantil Ziriguidum
  • Música de Ruiz, com a poesia sonora de Estrela Leminski e Téo Ruiz

Houve ainda dois grupos “suplentes”, que entram no caso de alguma desistência:

  • Tiziu, com o show “Ectoplasma”
  • Rosa Flô, com o show de lançamento do CD Rosa Armorial

O nível musical dos concorrentes era altíssimo. O que acabou pesando mais para que os escolhidos fossem esses aí, foi a originalidade das propostas (trabalho autoral foi considerado mais importante que o repertório tradicional), diversidade de estilos que compõem a cena musical da cidade (evitando que os grupos selecionados fossem todos de um único estilo musical).

E gente, se vocês estiverem considerando entrar num edital desses, por favor, prestem atenção no item “contrapartida social”. Precisa apresentar coisa bem planejada e imaginativa. No caso do edital do SESC, isso acabou sendo decisivo para desempatar entre trabalhos de qualidade semelhante.

Veja aqui na página do SESC o resultado deste edital e dos outros de teatro e artes visuais.

O resumo da coisa toda é: caramba! o nível de profissionalização da música popular em Curitiba está bem alto. Muita coisa boa para se prestigiar.

2 thoughts on “Edital “O som da cidade” do SESC da Esquina

  1. joêzer

    Me desculpe fugir do assunto. É só pra desejar bons ventos a seu novo espaço de navegação na web. E, que bom, um professor de História da Música que também conhece o livro do Blanning, O Triunfo da Música. Abraço.

     
    1. André Egg

      Valeu Joêzer,

      seja sempre bem-vindo. Ainda não conheço direito o livro não. Mas vou conhecer – só confiei nas informações que já tive e nos trechos que já olhei.

      Mas êta problema sério que é fazer uma bibliografia acadêmica de história da música em português!

      Abraço,